terça-feira, 29 de março de 2011

ESTA GENTE QUE ME FORMA - AVÔ AMADEU (O PATRIARCA)

É TÃO FÁCIL FALAR DELE!
AMANHÃ FAZ ANOS. OITENTA E... QUATRO OU CINCO (NÃO INTERESSA).
São tantas as memórias, my God!
Conto apenas 2 ou 3 episódios...
1 - como eu adorava quando era miudo, enquanto ele tomava o seu banho na sua casa de banho (quase) privativa, colocar-me do lado de fora da janela e gritar "Amadeu, Amadeu, abre a porta que sou eu! Amadeu, Amadeu, abre a porta que sou eu!
2 - aos domingos de manhã, logo após o TV Rural e o 70X7, iamos de carro buscar uma regueifa a Arrifana (sempre em 2ª que o meu avô muito gostava de poupar nas mudanças). Depois, almoçavamos em família e com sorte o meu avô ia buscar uma lata de nívea onde guardava moedas de 2$50 e 5$00 para jogarmos à piorra (rapa, tira, deixa, põe).
3 - com o seu olho clínico (de quem foi farmaceutico mais de 50 anos) quando fui operado à "pila" (já bastante adulto) visitava-me diariamente e quando chegava ao meu quarto, com o tom autoritário (qual Pai tirano, ehehehe) que o caracteriza dizia-me: "Levanta... mostra... vira para a esquerda, vira para a direita... está a cicatrizar... pode deitar". Dava meia volta e lá ia embora para regressar no dia seguinte.

Tantas e tantas peripécias do, e com o meu avô (necessitaria de um livro só para ele... quem sabe um dia...)!

Sempre tive um amor incondicional aos meus quatro avós (altina, Isaías, Alice e Amadeu) e aos outros que, de certa forma também cumpriam esse papel (vitorino, Alice e Ti Fia).

A forma como perdi primeiro o meu Isaías e depois a Alicinha fizeram com que quisesse aproveitar de outra forma a Altina e o Amadeu.
Não sinto que tenha negligenciado esse papel, esse objectivo, mas a minha vida sofreu muitas e inesperadas mudanças. Gostava de estar mais presente, mais vezes, com outra atenção e cuidado mas não consigo; e isso custa-me tanto!

Não sei se o meu avô guarda a carta que lhe escrevi em Março de 1996, no seu aniversário e logo após o falecimento do meu outro avô; tão pouco me lembro do que escrevi (ainda que desconfie).

Dele recebi um herança notável:
a)um amor incondicional pela família
b)o reconhecimento de que se dedicou aos netos como nunca o pode fazer pelos filhos
c)um orgulho enorme por todo e qualquer feito alcançado por qualquer um dos membros da família.

Quero renovar votos avô.
não terei dito à avó e ao isaías as vezes suficientes e necessárias do quão importantes eram para mim de do quanto gostava deles. Não farei o mesmo contigo. O mundo avançou e aquela carta que te entreguei em papel, hoje aparece desta forma, na internet, numa especie de livro que é meu e que se chama blog (nome que darias sem qualquer problema a um cão, eheheh).
Que este dia 29 seja um dia bom, feliz e que vás contando muitos, mas acima de tudo, bons anos pela frente.

Um beijo, obrigado por tudo quanto representas e desculpa não poder estar contigo hoje presencialmente.

Pedro Neves

2 comentários:

  1. ...axo que ja fui contigo a casa do sr. Amadeu :) linda declaração de amor. BJ

    ResponderEliminar